A importância do conhecimento científico

O desenvolvimento econômico de um país está diretamente ligado à sua

produção científica. Não é de se espantar que as nações mais ricas detenham as
patentes das principais invenções e descobertas da humanidade. Os Estados que
mais se destacam no atual cenário de desenvolvimento tecnológico, como a Coreia do
Sul, investiram, nas últimas décadas, vultosas quantias em educação e,
consequentemente, em ciência. De forma inversa, aqueles que recebem menos
investimentos apresentam uma restrita e reduzida criação tecnológica.
A tímida produção científica dos países subdesenvolvidos não tem como
solução exclusiva o aumento de recursos destinados à pesquisa, à ciência e à
tecnologia. Essa modesta produção está relacionada, em parte, à perda, nos últimos
anos, do interesse de nossa sociedade pelo conhecimento. Estamos perdendo o
desejo pelas coisas novas, por novos saberes, e também reprimindo a nossa
curiosidade nata, o nosso senso de observação e de investigação. E é na família e na
escola que as primeiras ações para inverter esse cenário, devem ocorrer.
É importante que, durante a infância, a criança tenha acesso a um ambiente
repleto de possibilidades que agucem a sua curiosidade. A família tem a
responsabilidade de propiciar essas condições, pois a construção de tais habilidades
consolidarão as características necessárias ao futuro pesquisador. Na escola, o
trabalho iniciado pela família é continuado. É por meio da educação que a criticidade e
a vontade de criar são intensificadas.
A estrutura de um espaço educacional, se bem planejada e adequadamente
aplicada, leva o aluno a não perder o interesse pelo conhecimento. Isso é possível
com um planejamento pedagógico que incentive a investigação e a pesquisa, uma
estrutura de laboratórios, uma equipe de especialistas e feiras de ciências regulares.
Dessa forma, a escola cumpre o seu papel de instigar nos alunos à produção
científica. O berço dos grandes cientistas é o espaço educativo.
Portanto, cabe às instituições, essenciais na formação do indivíduo, a
responsabilidade de criar condições necessárias ao desenvolvimento do conhecimento
científico. É por meio da interação escola-família que as mentes curiosas e criativas
serão estimuladas a descobrirem, criarem e recriarem a essência do conhecimento
humano. E, assim, colaborarão para a sua própria evolução e para o desenvolvimento
intelectual, social e econômico das sociedades.

A Percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que
não tem os olhos abertos para o mistério passará pela vida sem ver nada.
(ALBERT EINSTEIN)

Prof. Giuliano Bitencourt